EM GALINHOS, Gestão Interina não cumpre seu dever e segue sem popularidade

EM GALINHOS, Gestão Interina não cumpre seu dever e segue sem popularidade

A situação está cada dia mais difícil lá pras bandas da Ilha.

Atual gestor interino do município de Galinhos, Francinaldo Silva, que foi eleito presidente da Câmara Municipal para o biênio 2017 – 2018, anda mais perdido que cego em tiroteio como chefe do Executivo Municipal.

Atordoado com a cobrança de seus “aliados políticos”, irmão Naldo como é chamado, está deixando a desejar enquanto prefeito.

Hoje, 16 de Abril, após mais de um mês da gestão interina, os funcionários comissionados e contratados que foram demitidos pelo atual prefeito em portaria logo após revogada, ainda não receberam seus vencimentos referentes ao mês de Março, sem contar os novos comissionados e contratados, que se receberam foi de forma indevida, já que no Diário Oficial dos Municípios não consta portarias e muito menos termos de contratos. A bagunça está grande pois na verdade não se sabe quem está nomeado, e quem continua nomeado não está recebendo, e os novos que estão exercendo as funções não estão constando, pelo menos no Diário Oficial, que foram admitidos.

A falta de pagamento aos funcionários que prestaram seus serviços ao município independentemente de ter sido também em outra gestão, mostra o despreparo administrativo e político do atual gestor, que não pode dizer que não efetuou o pagamento por falta de dinheiro, já que desde o dia que tomou posse, 12 de Março, até hoje, entrou nos cofres da Prefeitura de Galinhos um total de R$ 1.603.144,35 (Um milhão, seiscentos e três mil, cento e quarenta e quatro reais e trinta e cinco centavos), fora recursos extras.

O povo do município sabe quem está por trás do prefeito, e o que se nota pela Ilha é que irmão Naldo vem pecando e muito quando o assunto é Administração Pública de Galinhos, e pode levar um puxão de orelha do Ministério Público, sem contar que se for concorrer a eleição suplementar contra o grupo liderado pelo prefeito cassado Fábio Rodrigues, é arriscado passar uma vergonha grande.



Não há banner cadastrado